Como Fazer o Bebê Pegar Chupeta: 6 Dicas Incríveis para Ajudar na Adaptação

Sejam pais de primeira viagem ou não, fazer o bebê pegar a chupeta sempre é um desafio, pois, apesar de geralmente isso acontecer nos primeiros meses, cada criança tem a sua própria personalidade, com necessidades latentes desde o momento do nascimento.

Isso significa que o desafio vale para você de forma diferente que valeu para o seu sobrinho, que foi diferente da priminha que nasceu há pouco tempo e daí em diante.

Apesar de haver diversas técnicas e até mesmo crenças sobre como fazer isso acontecer, existem maneiras comprovadas, ou melhor, as que mais surtiram resultado.

Para conseguir fazer o seu bebê pegar a chupeta, preparamos 6 dicas de ouro que tornam o processo mais simples, seja através de certas tentativas, com determinados métodos.

O mais importante é, contudo, tornar cada uma das tentativas confortável para o bebê. Vamos às dicas.

6 Dicas para Fazer o Bebê Pegar a Chupeta

Vamos listar uma seguida da outra.

Não tem melhor ou pior, como dissemos, cada bebê tem sua própria personalidade.

Aprenda e veja qual funcionará melhor com o seu nenêm.

1. A persistência é o primeiro caminho

Quando o bebê nasce, o processo de sucção é uma de suas primeiras reações, seja no peito da mãe ou em uma mamadeira.

Por mais recomendável que seja dar o leite materno, sabemos que inúmeras condições podem impossibilitar esse gesto – ou ainda, simplesmente ser uma escolha da mãe não amamentar.

Independente de qual seja a condição, a sucção é o primeiro contato do bebê com o seu alimento, assim como esse gesto pode ajudá-lo a ficar calmo e encontrar conforto e alento. É por isso que a chupeta, aqui, pode ser útil.

As tentativas devem ser frequentes, mas não insistentes a ponto de se tornarem incômodas.

Todas as vezes que o bebê estiver à procura de alento, tente mostrar a ele que a chupeta é uma opção que o tranquilizará. Ele está com sono? Passe delicadamente a chupeta em sua boca para que ele perceba que esta é uma opção.

Ele mamou, mas continua procurando por algo para sugar e não quer mais leite? Use a chupeta para passar a ansiedade. Está com cólica ou irritadiço? Esta é uma opção para você tentar. É preciso ter muita paciência neste método.

2. A tática do leite materno na chupeta

Se o seu bebê estiver sendo amamentado no peito da mãe e você tiver interesse em tornar a chupeta algo usual, para que ele não fique tão dependente dessa forma de alimentação, existe uma segunda tentativa.

Muitas vezes os bebês se acostumam ao peito da mãe, que jamais negará o leite materno, mas acabam utilizando-o como distração, seja para dormir ou simplesmente se aninhar no colo.

Contudo, nem sempre a mãe pode atender a esse chamado, principalmente se precisar tirar seu leite enquanto o filho fica sob os cuidados de outra pessoa. Para tentar este método, então, você mais uma vez precisará ter paciência.

Isso porque você poderá umedecer a chupeta com o leite materno, deixando-a em suas mãos fechadas por alguns segundos antes disso. Ela ficará morna e, com o cheiro e o gosto do leite na chupeta, seu bebê poderá começar a perceber que tem outra opção.

Faça isso de três a cinco vezes por dia, ou simplesmente toda vez que começar a amamentar a criança. Tome cuidado para não irritá-la com seguidas tentativas. Você precisará perceber o momento certo de acordo com o humor do bebê.

Uma dica de outro extra aqui é fazer as suas tentativas molhando a chupeta com leite materno antes de seu bebê dormir, quando já estiver sonolento. Ele pode se acostumar.

3. O sono bate e o bebê pode se acostumar

Aliás, o sono é um ajudante e tanto para você fazer seu bebê pegar a chupeta. Quando a criança está cansada, ela pode ser bastante irritadiça, mas gradualmente a sua insistência vencerá a persistência dela.

Isso é uma luta constante.

Desde muito pequenos, os bebês já podem começar a resistir ao sono. Mas em algum momento ele vai ceder. É nessa hora, quando estiver cansado, com a cabeça já cedendo à gravidade, é o momento de começar a experimentar a chupeta.

Como os bebês têm a sucção como algo natural, a sua criança começará a perceber que a chupeta é uma boa aliada do sono.

Não é para deixá-la na boca de seu filho enquanto ele dorme e você já não estará por perto. Espere que ele caia em sono profundo e tire da boca dele, pois caso contrário ele poderá engasgar com a própria saliva.

O engraçado desta situação é que você verá, quando tirar a chupeta, a boca de seu filho fazendo o movimento de sucção involuntária, e isso é uma graça.

4. Teste diferentes modelos de chupeta

Para como fazer o bebê pegar a chupeta, é fundamental que você conheça os diferentes tipos que existem à venda. Você achará os principais no mercado ou em uma farmácia.

Todos os tipos, aliás, podem ser encontrados em 3 segmentos: as de bico anatômico, bico fisiológico e o bico cereja (ou redondo).

O bico anatômico é aquele que se assemelha ao bico do peito materno, o que pode deixar o bebê bastante confortável com o seu formato.

Mas, caso não funcione, o que acontece principalmente quando a criança não foi amamentada no peito, você pode tentar o bico simétrico, mais reto, pois ele não pressiona o céu da boca e pode deixar a criança mais confortável aqui.

Se ainda assim não der certo, o bico cereja é a terceira opção, a qual tem ganhado diversos adeptos por oferecer um formato redondo, sem aprofundamento na boca da criança, o que pode, inclusive, servir para ser mordido quando os primeiros dentinhos surgirem.

Caso queira saber detalhes, pode conferir nosso guia sobre as melhores chupetas do mercado.

5. A hora de morder chega e essa é a melhor opção

Seguindo os modelos diferentes de chupetas, pode ser que você utilize os três segmentos e suas variantes, que vão de acordo com cada marca.

Pois, conforme o bebê cresce, a sucção ganha diferentes formas, indo dos primeiros movimentos da boca, quando ele é recém-nascido (até os dois meses), passando pelo desenvolvimento de seus primeiros movimentos e noções (dois a seis meses) até o crescimento de seu corpo e dos dentes.

É justamente quando o bebê começa a ter seus primeiros dentes dando sinal de vida que as irritações aumentam.

Pode ser até que ele fique com febre, mas se você estiver acompanhando todos os dias, não precisa se preocupar tanto. Se houver reações maiores do que estado febril (37 °C) ou febre baixa (38 °C), procure um médico.

Enquanto os dentes crescem, além de irritadiço e de possíveis febres, seu bebê vai procurar por coisas para morder. Tome cuidado com o que estiver à sua altura e, é claro, tente a chupeta.

Se o seu filho ainda não pegou a chupeta até os primeiros dentes começarem a nascer, essa é a hora de tentar.

A partir do momento em que ele se acostumar a morder a chupeta, principalmente porque ele começará a babar, ela será sua companheira.

Ressalto também que esta pode ser a última chance de isso acontecer.

6. Esperar a melhor idade

Existem três principais momentos em que você conseguirá fazer o seu bebê pegar a chupeta.

Os primeiros dois meses de vida merecem uma versão pequena, de preferência bico anatômico.

No segundo momento, a fase que vai dos dois aos seis meses, você poderá testar o segundo tipo, que é o que a maioria das mães tenta, o bico fisiológico.

A partir dos seis meses, o bebê deve aceitar qualquer um dos bicos, principalmente quando os dentes começarem a aparecer.

Não é nenhuma regra a preferência por cada bico, mas é o que funciona geralmente. Isso significa que, se não estiver dando certo contigo, tente outro, e outro, e outro.

Em cada idade o bebê vai se comportar de determinada maneira. Como você sabe, o importante é tornar esse processo no qual o bebê poderá se acostumar em algo natural, que não o force, incomode além ato de se acostumar e, principalmente, não o deixe desconfortável.

Nem todos os bebês pegam chupeta, mas não custa muito tentar.

Os mitos da chupeta e até onde isso pode atrapalhar o crescimento do bebê

Existem mitos e verdades a respeito do uso da chupeta, então é preciso que você saiba distinguir uns dos outros.

O primeiro é em relação ao ato de amamentar e o que o uso da chupeta pode atrapalhar.

Em muitos casos, de fato o bebê pode se acostumar ao bico artificial, o que é fundamental que você utilize o anatômico, mais parecido com o seio da mãe.

Mas, para manter o equilíbrio neste caso, se você considera a amamentação algo que será constante e primordial para o crescimento do bebê, utilize a chupeta somente nos momentos necessários, como na hora do sono, cólica ou irritação.

Assim o peito se transforma em fonte de alimentação e não de distração.

Outro fator que se transformou em mito por ser generalizado é em relação à dentição. O uso de chupeta começa a prejudicar a dentição em dois casos: a constância excessiva e após os três anos de vida.

Se não for em nem um e nem outro caso, não há problemas. É, mais uma vez, o caso de tornar tudo equilibrado.

O terceiro mito que pode se transformar em verdade é prejudicar a fala. Mais um caso que se aplica com o uso excessivo e após certa idade, geralmente aos três, quando as palavras precisam ter a dicção aprimorada.

Quais cuidados você deve ter com a chupeta

O uso da chupeta no dia a dia precisa de alguns cuidados, como o seu armazenamento e higienização.

Para guardar a chupeta quando seu bebê não estiver usando, compre um porta-objeto voltado para isso, como aquelas caixinhas coloridas que você encontra, principalmente, em farmácias.

A higienização precisa ser feita toda vez após a utilização.

Água corrente e detergente neutro bastam no primeiro momento, mas é necessário que você ferva ocasionalmente a água que vai utilizar para lavar, para garantir que todos os germes sejam eliminados.

Lembre-se de que a chupeta vai na boca de seu bebê. Caiu no chão, lave com sabão. Uma pequena rima infantil para você se lembrar quando estiver com o seu filho.

Continue acompanhando o Universo do Bebê para mais dicas.

Veja tambémDeve-se acordar o Bebê para Trocar a Fralda? Os Benefícios em Cada Etapa da Vida Dele